Título: A Rainha Vermelha
Autor (a): Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 424
Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.
Quantos sorvetes eu dou: 


 “A Rainha Vermelha” despertou minha curiosidade desde que li a sinopse e vi algumas resenhas super positivas à respeito. Demorei um pouco – muito -  para adquirir o livro, mas finalmente consegui desfrutar dessa obra, que é uma mistura de clichês infanto-juvenis e ao mesmo tempo algo extremamente inovador.

'' Os deuses ainda governam. Ainda descem das estrelas. Só não são mais gentis.''


Devo confessar que não me dou muito bem com distopias; o que não foi o caso de “A Rainha Vermelha”, já que me vi completamente apaixonada depois das primeiras 100 páginas.

De cara somos apresentados a um  mundo dividido entre vermelhos e prateados, onde os que possuem sangue vermelho são obrigados a viver na miséria e servir a elite prateada, que ao possuírem poderes são considerados deuses, intocáveis e soberanos.

''- Quantos? - grito em resposta, reunindo forças para encará-los. - Quantos morreram de fome? Quantos foram assassinados? Quantas crianças foram levadas para a morte? Quantos, meu príncipe? ''

É nesse impasse que conhecemos a difícil vida de uma adolescente vermelha de 17 anos, que é obrigada a roubar para ajudar sua família a sobreviver tamanha miséria. Mare Barrow é forte, destemida e está pronta para aceitar seu destino; já que todo jovem que não é aprendiz ou não trabalha é mandado para a frente de batalha ao fazer 18 anos.  No entanto, as coisas não saem como previsto e após um encontro que mudará para sempre sua vida, ela se vê dentro do palácio real exercendo um papel que jamais quis ou sonhou.

Mare, uma garota que passou a vida toda achando que o seu destino era morrer nos campos de batalha acaba descobrindo a possibilidade de ser alguém totalmente diferente: uma garota vermelha com poderes de um prateado, uma raridade, uma ameaça à nobreza e um símbolo de rebelião.

Um ponto muito forte e bem construído é o poder governamental apresentado na história. Jamais vi um cenário governamental tão complexo e envolvente quanto o de “A Rainha Vermelha”. Cheio de manipulações, mentiras e artimanhas dignas de uma monarquia.

“Muitos vibram em acordo. Precisei de toda a minha força para não pular em cima desses covardes que jamais estarão na frente de batalha ou enviarão seus filhos para o combate. A guerra prateada deles é paga com sangue vermelho.”

O livro em si é bem parecido com todas as outras distopias famosas – Jogos Vorazes, Divergente, A Seleção -, mas devo admitir que Victoria Aveyard conseguiu criar um universo tão bem construído em aspectos políticos, românticos e fantasiosos que descarta-se a ideia de “cópia” e enxerga-se algo totalmente novo e entusiasmante.

“A Rainha Vermelha” é o primeiro livro de uma trilogia que ao meu ver, renderá grandes emoções – há, já quero o segundo. -.


E não se esqueçam, “Todo mundo pode trair todo mundo” 


18 Comentários

  1. Oi, Lari.
    Eu fico com muita duvida sobre ler ou não esse livro. Ainda mais que uma das minhas trilogias favoritas é uma adaptação de Alice. Mas o que me dá ânsia de lê-lo são resenhas maravilhosas detalhadas como a sua. Amei;
    Beijos!


    Borboletas de papel Ƹ̴Ӂ̴Ʒ

    Conheça o novo projeto literário #12HistóriasBrasileiras e participe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline !
      Poxa, acho que se você tiver um tempo livre entre suas leituras deve ler sim.. Quem sabe não goste.
      Bj

      Excluir
  2. Oi Lari,
    Estou com essa resenha prontinha, mas ainda não publiquei.
    Confesso que concordo em partes com você, essa coisa de parecer outra história me incomodou muito e eu não consegui me entregar para os personagens, entende?
    Mas fico feliz que tenha gostado.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale !
      Entendo completamente, no começo me senti um pouco incomodada também, mas decidi quebrar esse bloqueio e me entregar ao livro sem que as outras histórias interferissem, acho que deu certo kk
      Beijos

      Excluir
  3. Olá Lari, eu gostei da ideia da autora de criar um governo tão bem construído, juntar um pouco de vários infantos-juvenis e ainda sim criar um livro totalmente inovador. Eu soube que vai sair um conto dessa história e fiquei um pouco confusa. Vai ser uma triologia? Eu amei sua resenha, beijos,

    http://queremosmaislivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Débora !
      Então, é uma trilogia sim, o próximo livro é Espada de Vidro, o conto deve ser a parte, sem interferir na trilogia em si.
      Beijos

      Excluir
  4. Alo!
    Talvez seja apenas aquela boa e velha receita da jornada do herói a causa do clichê, o que por vezes se torna bem cansativo e realmente o livro precisa ter algum outro tipo de apelo senão fica chato demais.
    Confesso que não me liguei muito na historia, muito pelo fato de acompanhar jogos vorazes e outras tantas que aparentam ter uma pegada muito parecida, mas uma coisa me intrigou. Uma distopia com um governo baseado em regime monarca e no minimo curioso.
    Quatro Selos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá !
      Devo concordar.. Bom, como disse, eu achei muuito bem elaborado todo o governo criado pela autora, é o mais bem elaborado de todas as outras distopias que vi.

      Excluir
  5. Oi, Lari! Tudo bem? Justamente por saber que A Rainha Vermelha se parece com vários outros livros que já li, eu não tenho vontade de lê-lo. Mas adorei sua resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, que pena Tony :/
      Fico feliz que tenha gostado mesmo assim !
      Abraço !

      Excluir
  6. Oi
    eu tenho curiosidade de ler esse livro, mais dei uma desanimada pois andei lendo muita resenha negativa do livro e que bom que a sua resenha foi positiva, a capa desse livro é linda.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii !
      Siim, eu vi algumas resenhas negativas também depois de um tempo.. Mas não desanimei.
      Acho a capa divina *-*
      Beijo

      Excluir
  7. Oi!
    Um amigo indicou esse livro e tenho tido vontade de ler, rs. Minha lista de leitura anda gigantesca, mas vou tentar incluí-lo nas leituras 2016!
    Beijos
    P.S: Tem promoção de Top Comentarista rolando no blog, confere lá!
    http://www.moleca20.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li o livro, mas me parece que a essência do livro é basicamente o que vivemos em sociedade hoje em dia: discriminação relacionada à bens, pobres X ricos.
    Achei o livro super interessante por ter lido sua resenha, e se é uma trilogia ele fica mais interessante ainda!
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥
    Participe do Concurso Cultural e Concorra a 5 itens de Beleza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Leslie.. A descriminação e o sentimento de revolta a respeito disso é bem claro e evidente no livro todo.
      Beijos

      Excluir
  9. Olá Lari!
    Não curto distopias, mas esse soou interessante. Sua descrição da parte politica me lembro de As Cronicas de Gelo e Fogo hehe
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas | SORTEIO 250 SEGUIDORES! NOS SIGA E PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thalita !
      Eu também não tenho muito amoor por distopias, mas gostei dessa.
      Bom, o livro em si é parecido com As Cronicas de Gelo e Fogo nesse aspécto e em alguns acontecimentos, haha.
      Beijos

      Excluir